segunda-feira, 30 de julho de 2012

O VAZIO QUE SENTIMOS PELOS QUE JÁ SE FORAM



O VAZIO QUE


SENTIMOS PELOS QUE JÁ SE FORAM

O período de festas, bem como as diversas outras datas comemorativas (aniversário, nascimentos) ou meras reuniões familiares são, por vezes, momentos de tristeza, de agonia, de depressão para grande número de pessoas que perderam entes ou pessoas que lhes eram muito caras.

Este sentimento, não há como negar, em grande parte pode ser creditado à solidão, este mal da alma humana. Mesmo em família, nem sempre nos sentimos à vontade, integrados à maneira de viver e de comemorar o Natal ou outras datas. Outro aspecto a considerar é a saudade que sentimos dos que já partiram. Não podemos esquecer que também deixamos amigos no mundo dos espíritos que nos aguardam um dia. Portanto, devemos compreender que somos os maiores, senão os únicos, responsáveis pela onda de sentimentos que nos afetam; que atingem nossos amigos e parentes próximos; e, numa dimensão diversa, os entes que partiram para outro plano da vida.

O estudioso espírita Mauro Operti observou em entrevista ao IRC, que a maneira de saber se os entes desencarnados estão bem é rezar, “pedir a Deus que lhe permita sentir o carinho daquele de quem você gosta”. “Com o tempo e a prática — completa — aprendemos a nos dirigir mentalmente àqueles de quem gostamos e as evidências subjetivas que colhemos desses contatos nos dão a certeza de que realmente estivemos com eles. Mas é preciso aprender a fazer as rogativas mentais com tranqüilidade, confiança e á certeza da assistência espiritual de nossos guias. Peçamos (...) e esperemos com serenidade”. Devemos, neste sentido, entender que nascemos, vivemos e até mesmo “morremos” para aprender a viver em relação aos outros e à própria vida. Saibamos, como afirma Mauro Operti, que “Deus não cometeria esta maldade de separar definitivamente dois seres que se amam. A essência da vida é o outro.

Porque Deus juntaria num breve tempo de uma existência duas criaturas que se sentem felizes de estar juntas e depois as separaria pela eternidade? A certeza da sobrevivência que a prática espírita garante às criaturas está acompanhada da certeza da reunião daqueles que se amam depois da perda do corpo físico”. Esta é a maior consolação que poderíamos desejar, mas não é só uma consolação piedosa, é uma certeza proveniente da vivência que, aos poucos, vai nos tornando mais seguros e menos propensos às crises de ansiedade e aflição que são tão comuns às pessoas hoje em dia.

Por isto, importante a atitude da família. Em regra, sempre, mas de maneira particular nas datas comemorativas, onde as ondas mentais, as lembranças são mais presentes, reais e amorosas. Léon Denis examinando a questão diz: "Os pensamentos de amor e caridade, as vibrações dos corações afetuosos brilham para” os desencarnados como raios na névoa que, por vezes, o envolve. “Ajudam-no a soltar-se dos últimos laços que a acorrentam à Terra.”

O posicionamento mental dos familiares ante a “morte” é fundamental na recuperação do espírito. Pensamentos de revolta e desespero o atingem como dardos mentais de dor e angústia, dificultando a sua recuperação. André Luiz mostra que a atitude inconformista da família pode criar "teias de retenção", prendendo o Espírito ao seu corpo (Fonte: IDE-JF Instituto de Difusão Espírita de Juiz de Fora - MG).

Complementa Léon Denis, ao falar do hábito de velar os “mortos” : "O cerimonial religioso, em uso, pouco auxílio e conforto dá, em geral, aos defuntos. Bem poucos dos que formam o acompanhamento pensam no defunto e consideram como dever projetar para ele um pensamento afetuoso." André Luiz chega a dizer, que "felizes são os indigentes, porque são velados nas câmeras dos institutos médico-legais", porque o velório e o sepultamento são quase sempre, mais um motivo de sofrimento para o desencarnante.

O pensamento elevado, e sobretudo a prece sincera são infinitamente mais valia para o equilíbrio do desencarnante. Allan Kardec afirma que o melhor presente que podemos dar a um ente querido que partiu é orarmos sinceramente em seu benefício: "As preces pelos Espíritos que acabam de deixar a Terra têm por fim, não apenas proporcionar-lhes uma prova de simpatia, mas também ajudá-los a se libertarem das ligações terrenas, abreviando a perturbação que segue sempre à separação do corpo, e tornando mais calmo o seu despertar" (ESE-cap XXVIII it 59).

Vale, como sempre, a lição de André Luiz:

"Maior resignação, maior prova de confiança e entendimento.Emitir para os companheiros desencarnados, sem exceção, pensamentos de respeito, paz e carinho, seja qual for a sua condição.A caridade é dever para todo clima.O companheiro recém-desencarnado pede, sem palavras, a caridade da prece ou do silêncio que o ajudem a refazer-se.Transformar o culto da saudade, comumente expresso no oferecimento de coroas e flores, em donativos às instituições assistenciais, sem espírito sectário, fazendo o mesmo nas comemorações e homenagens a desencarnados, sejam elas pessoais ou gerais.A saudade somente constrói quando associada ao labor do bem.O corpo que morre não se refaz." (Do Livro"Conduta Espírita, Pelo Espírito de "André Luiz" Psicografia de Francisco Cândido Xavier).

Em conclusão, devemos agir com resignação. Entendimento do sentido da vida, que compreende a morte do corpo e o princípio da evolução do espírito. Para tanto, devemos nos portar no sentido de ajudar, de amparar e compreender os encarnados e desencarnados. Para tanto, a oração e a simplicidade das reuniões familiares; a lembrança carinhosa, com saudade, mas sem dor, ajuda e proporciona luz aos que se foram e nos ilumina o caminho para a continuidade de nosso próprio caminho.

Marcos Grignolli

SUICÍDIO : OS SINAIS DE ALERTA

SUICÍDIO : OS SINAIS DE ALERTA

Drauzio – Você disse que a pessoa emite sinais de que vai suicidar-se. Que sinais são esses?

Alexandrina Meleiro – Como exemplo, vamos pensar num adolescente que era muito dedicado ao estudo, tinha amigos, gostava de sair, de ir ao cinema, de participar de jogos, de divertir-se e vai perdendo o interesse por suas atividades cotidianas. Não faz com tanto afinco as tarefas da escola, falta aos programas que marcou e não vê graça no que antes lhe despertava interesse. Chama a atenção sua irritabilidade que as pessoas confundem com manifestações da “aborrecência”. Se o observarmos com cuidado, veremos que está agitado, às vezes malcriado, e com sinais de depressão. Não é raro aparecerem sintomas físicos, difusos, como dor de cabeça, de estômago, dores musculares, fruto do desconforto emocional que experimentam. Às vezes, esse desconforto é tal que ele recorre ao uso de drogas porque no início elas provocam um estado de euforia.

Quem não está bem, está baixo-astral ou down como dizem, precisa e deve contar aos pais, aos professores, a um amigo ou ao médico que a vida perdeu as cores e o mundo foi ficando cinza, murcho. Tudo que antes considerava um problema simples e que parece insignificante para os outros, passa a assumir dimensões catastróficas para ele. Sentindo-se sem saída, pode buscar a mais difícil de todas: o suicídio.

Esse adolescente precisa saber o que está ocorrendo nos neurotransmissores de seu cérebro. Assim, não optará por uma solução que o fará abrir mão de sua vida, de seus desejos e aspirações, daquilo que queria para o futuro, das pessoas de quem gosta.

Os mentores de cura



Os mentores de cura

Quem São
Os mentores de cura trabalham em diversas religiões, inclusive na Umbanda. São muito discretos em sua forma de se apresentar e trabalhar, e estas formas mudam de acordo com a religião ou local em que irão atuar. São espíritos de grande conhecimento, seriedade e elevação espiritual. Alguns deles não demonstram muito sentimento mas mesmo assim têm muita vontade de ajudar ao próximo, com o tempo tedem a evoluir também para um sentimento maior de amor ao próximo.

São extremamente práticos, não aceitando conversas banais ou ficar se extendendo a assuntos que vão além de sua competência ou nos quais não podem interferir, pois não são guias de consulta no sentido ao qual estamos habituados na Umbanda.

Para se ter uma idéia melhor, sua consulta seria o pólo oposto à consulta com um Preto Velho. Normalmente os pretos velhos dão consultas longas, cheias de ensinamentos de histórias, apelando bem para o lado emocional. Já os Mentores de Cura, se dirigem ao raciocínio, buscam fazer o encarnado compreender bem as causas de suas enfermidades e a necessidade de mudança nessas causas, bem como a necessidade de seguirem à risca os tratamentos indicados. Quando precisam passar algum ensinamento o fazem em frases curtas e cheias de significado, daquelas que dão margem à longas meditações.

São espíritos que quando encarnados foram: Médicos, Enfermeiros, Boticários, Orientais (que exercem sua própria medicina desde bem antes das civilizações ocidentais), Religiosos (monges, freis, padres, freiras, etc.), ou exerceram qualquer outra atividade ligada a cura das enfermidades dos seres humanos, seja por métodos físicos, científicos ou espirituais.

Métodos de Trabalho
Cada guia tem sua forma de restituir a saúde aos encarnados, normalmente se utilizam de meios dos quais já se utilizavam quando encarnados, mas de forma muito mais eficiente, pois após chegarem ao plano espiritual puderam aprimorar tais conhecimentos. Além disso esses espíritos aprenderam a desenvolver a visão espiritual, através da qual podem fazer uma melhor anamnese (diagnóstico) dos males do corpo e da alma.

Aliados aos seus próprios métodos individuais eles se utilizam de tratamentos feitos pelas equipes espirituais ou ministrados pelos encarnados com auxílio do plano espiritual.

Alguns deles são:

Cirurgia Espiritual - É realizada pelo mentor de cura incorporado ao médium. E envolve a manipulação do corpo físico através das mãos do médium, podendo ou não haver a utilização de meios cirúrgicos elementares (cortes, punções, raspagens, etc...). O maior representante deste método de trabalho no Brasil é o espírito do Dr. Fritz, mas este método é utilizado em diversas culturas e religiões.

Cirurgia Perispiritual - É realizada diretamente no perispírito do paciente, com ou sem a colaboração de um médium presente, costuma ser realizada por uma equipe espiritual designada especificamente para cada caso e ser feita em dia e horário pré determidados.

Visita Espiritual - É realizada por uma equipe espiritual, que visita o paciente no local onde ele estiver repousando, também com um dia e hora predeterminados. Na visita, darão passes, farão orações, etc...

Cromoterapia - É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no duplo etérico. Muito utilizado para males de origem emocional.

Fluidoterapia - É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no perispírito.

Reiki - É indicada pelos mentores de cura e aplicada por médiúns que conheçam o método de aplicação. Atua no corpo físico e no duplo etérico. Muito utilizada para males de origem emocional ou psíquica e para realinhamento de chacras.

Homeopatia - Indicada e receitada pelos mentores espirituais. As fórmulas são feitas normalmente por laboratório de manipulação homeopáticos. E devem ser tomados de acordo com o determinado.

Outros - Fora estes tratamentos, também podem ser utilizados, florais de Bach, cristaloterapia, chás, aromaterapia, acumpuntura, do-in, etc...

Em alguns casos os guias também indicam dietas, alimentos a serem evitados ou ingeridos para melhoria da saúde geral.

OBS: Para o momento davisita espirituale cirurgia espiritual: O paciente deverá vestir-se e deitar-se com roupas claras (de preferência branca); ficar num ambiente calmo, com pouca luz e colocar ao lado um copo d’água para ser bebida após o tratamento.

Após a visita e a cirurgia, o paciente deverá manter-se em abstenção por mais 6 horas, para que a energia doada seja melhor absorvida.


Como interagem com os médiuns

Incorporação

É muito sutil e dificilmente inconsciente a incorporação dos mentores de cura. Muitas vezes atuam apenas na fala e só assumem o controle motor quando necessário.



Intuição

Alguns mentores trabalham com seus médiuns apenas pela via intuitiva, indicando as providências a tomar e tratamentos. Neste caso, é necessário um grande equilíbrio e desenvolvimento do médium, para que o mesmo não atrabalhe nas indicações dadas pelo mentor.



Psicografia (Receitistas)

Funciona da mesma forma que a psicografia comum, mas os espíritos comunicantes costumam psicografar receitas de tratamentos e medicamentos (que em alguns casos podem até mesmo ser da medicina comum).





Equipes Espitituais

Cirúrgicas - São formadas da mesma forma que as equipes cirúrgicas do plano material, compostas de cirurgião, assistente, anestesista, instrumentista, enfermeiros, etc... Apnas diferem no que se refere aos instrumentos e tecnologia utilizados. Incluindo também a aplicação de passes e energias associados a intervenção cirúrgica.

De Oração - Formadas normalmente por espíritos religiosos, acostumados às preces quando encarnados. Estas equipes se reúnem junto ao paciente em uma corrente de orações com finalidade de equilibrar o mental e emocional do paciente e também de buscar energias dos planos superiores. Como efeito adicional, a prece tende a elevar a energia gelal do ambiente onde está o paciente, asiim como dos encarnados que estam atuando junto ao mesmo.

De Proteção - Quando o mal físico está associado a interferência de espíritos inferiores, essas equipes fazem a proteção do paciente, enquanto o mesmo é tratado nas cirurgias ou visitas, ou enquanto está seguindo as recomendações indicadas pelos mentores de cura.

De Passes (passe espiritual) - Seu trabalho é realizado em sua maior parte durante as sessões de cura e durante as visitas espirituais. Dando passes no paciente, nos asistentes e nos médiuns; antes, durante e após a sessão.

De Apoio - Estas equipes atuam levantando o histórico do paciente diretamente no seu campo mental, preparando-o através da intuição para a consulta, estimulando-o através do pensamento a reeducar hábitos nocivos, a mudar as situações que estejam prejudicando a própria saúde, inspirando-os força de vontade para continuar os tratamentos e seguir as recomendações e dietas.





O que curam e o que náo curam

Males Físicos

A maior parte dos males físicos de que os encarnados sofrem, são causados pelos maus hábitos, vícios e má alimentação. Os mentores nestes casos se utilizam das diversas terapias para a cura mas principalmente esclarecem ao encarnado quanto a órigem de tais males, sugerindo dietas, o abandono ou diminuição dos vícios e mudança de hábitos. Nestes casos a cura definitiva só pode ser obtida com a plena conscientização do paciente e com a sua força de vontate e compromisso na obtenção do equilíbrio orgânico.



Males Mentais

Parte dos males mentais (depressão, angústia, apatia) são causados por obsessores, mas a maior parte deles tem por origem a própria atitude mental do paciente. Pensamentos negativos atraem energias negativas, que quando se tornam constantes e intensas podem se materializar no corpo físico na forma de doenças. Males como: úlceras, enchaquecas, hipertensão, problemas cardíacos, e até mesmo algumas formas de câncer podem ser provocados pela mente do pacinte, quando esta se encontra tomada por pensamentos negativos.

Também neste caso os mentores além de indicarem os tratamentos apropriados, esclarecem ao paciente quanto a necessidade de mudar a atmosfera mental, com objetivo de não ficar atraindo continuamente energias desequilibrantes, costumam também sugerir passeios por locais da natureza e o hábito da prece como forma de atrair energias novas e regeneradoras.



Males Kármicos

Os males kármicos se caracterizam por doenças incuráveis (fatais ou não) tanto pela medicina alternativa, quanto por terapias alternativas ou por meios espirituais. Nestes casos o tratamento visa o alívio do paciente ou ampará-lo emocionalmente para que sua atitude mental não tome o rumo da revolta ou do desespero.

As doenças karmicas são males que escolhemos antes de encarnar como forma de resgatarmos erros passados. Típicos males kármicos são: Cegueira de nascença, mudez, Idiotia, Eplepsia, Sindrome de Down, Más-Formações do corpo físico, etc. Na maior parte são males de nascença, embora algumas doenças possam ter sido “programadas” para surgir em determinada época da encarnação.

Nestes casos os mentores não podem (e nem deveriam) curar o corpo, pois através do padecimento deste é que o espírito está resgatando suas faltas e aprendendo valiosas lições para sua evolução e crescimento.



Males Espitituais

São aqueles causados pela atuação dos espíritos (obsessores, vampirizadores, etc.) e que se refletem no corpo físico. Nestes casos os mentores cuidam do corpo físico enquanto o paciente é tratado também em sessões de desobsessão, descarrego, etc.

Ou seja os mentores com as terapias à seu alcance minimizam e atenuam os males causados ao corpo físico enquanto o paciente é tratado na origem espiritual do mal de que sofre.

Quando o paciente se vê livre da presença espiritual nociva, os mentores costumam ainda continuar com os tratamentos visando reparar os males que já haviam sido causados ao organismo, até que ele retorne ao seu equilíbrio.


A Sessão de Cura (O visível e o Invisível.)



Os Pacientes

O paciente deverá abster-se de bebidas alcoólicas, café, cigarro, carnes de origem animal e sexo, 24 horas antes daconsulta, davisitae dacirurgia espiritual.



A Preparação

Muito tempo antes dos portões da casa espírita se abrirem ou dos médiuns chegarem, o ambiente destinado aos tratamentos já está sendo limpo e preparado.

Os procedimentos começam com o isolamento da casa espírita que é cercada por equipes de vigilantes espirituais (os exus), que impedem a entrada de espíritos perturbadores e fazem a limpeza fluídica dos encarnados que chegam. Caso seja nessessário, podem provocar até mesmo um mal estar ou utra situação de forma a afastar as pessoas que venham a casa espiritual com má intenção ou envolta em fluidos que possam perturbar os trabalhos.

Logo após se procede a limpeza do ambiente interno da casa e em seguida há uma energização do ambiente. Em paralelo a isto, alguns espíritos trazem até o ambiente alguns fluidos extraídos da natureza, para serem utilizados posteriormente no tratamento dos pacientes.

Em seguida a isso vão chegando a casa os mentores com suas equipes de trabalho de forma a se reunirem e fazerem o planejamento dos trabalhos a serem executados.

Fora da casa espírita, os médiuns que irão ser veículo dos mentores, devem estar se preparando física e mentalmente para os trabalhos, e já estão sendo magnetizados e preparados pelo plano espiritual de forma a terem maior sintonia com os mentores.

Quando os médiuns chegam a casa, continuam sendo preparados pelas equipes espirituais. E enquanto cuidam do ritual (incensos, cristais, velas, etc.) vão entrando em sintonia com o plano espiritual. A preparação termina com a prece de abertura, onde o pensamento dos encarnados e desencarnados se une numa súplica ao Divino Médico para que ele interceda por todos.

Após isso os mentores de cura se manifestam e dão sua mensagem indvidual para o início dos trabalhos.



A Mesa

A mesa da sessão de cura é composta por 3 ou 4 médiuns quedevem se manter em concentração/oração durante todo o tempo em que estiverem compondo a mesa, e só devem romper a concentração após a partida de todos mentores que estiverem trabalhando.

A mesa funciona como um ponto focal de energias, é através da mesa que chegam as energias e ordens de mais alto e são distribuídas às equipes. Por ser um local onde existe alta concentração/oração é o ponto para onde convergem as energias mais puras e mais sublimes da sessão de cura. Eventualmente, podem se manifestar à mesa algum mentor de cura, ou algum dos médiuns pode ser utilizado em alguma psicografia (por isso mesmo é interessante manter lápis e papel á mesa).

Na mesa também fica a água a ser fluidificada e o nome de algumas pessoas que receberão irradiação.





Os Médiuns

Os médiuns que não estiverem trabalhando com seus mentores, compondo a mesa ou atuando como cambonos dos mentores devem manter o silêncio a concentração e a oração.

Devem utilizar esse momento para permitir que seus próprios mentores os preparem para futuramente trabalharem com eles. E ter também consciência de que toda a energia positiva que estiverem atraindo para os trabalhos de cura através de sua concentração/oração estará sendo amplamente utilizada pelos mentores e pelas equipes de cura para levar a caridade a todos os que estiverem sendo tratados.



O Encerramento

No encerramento, os mentores de cura dão suas mensagens finais e partem. Neste momento os médiuns que compõem a mesa também pode romper a concentração. Todos os médiuns tomam da àgua fluidificada que está na mesa. E caso o digigente julgue conveniente, pode efetuar a leitura de alguma mensagem que porventura tenha sido psicografada.

No plano espiritual, o trabalho ainda continua, com distribuição de serviço entre as equipes espirituais. Somente após a saída de todos os médiuns e com o encerramento dos trabalhos de cura no plano espiritual é que a corrente dos vigilantes (exus) se desfaz. Embora a casa continue sendo vigiada, apenas não de forma tão ostensiva.

PALAVRAS DE FORÇA E CORAGEM

O bom lutador não teme batalhas. Afia a espada com as pedras da vida. Faz do medo seu escudo. Se sofre uma derrota... Não se entrega. Espreita o inimigo. Usa o recuo como aprendizado. Pede orientação divina. Aguça os sentidos. Prepara-se para receber o sinal... Vem como um raio. Vontade sobrenatural. Impulso irrefreável. Prende o oponente pelo olhar. Parte à frente... Sua força comanda todo o exército. Ninguém consegue atingi-lo Sua mente domina o corpo... Reage rapidamente aos ferimentos. Ataca sem descanso. Envolto em halo sagrado. Seu porte parece aumentar... Suas mãos emitem raios... Sua espada fere antes de tocar. Alma de Guerreiro... Espírito que ronda, buscando os fortes. Que encaram de frente à morte. Amam a vida... Têm o poder divino como suporte. Louvam o corpo em templo sagrado. Nunca se deixam ficar à mercê da sorte.

O mal, o remédio e a cura

O mal, o remédio e a cura

Autor: Joel Marcos Figueiredo


Podemos estar enganados quando achamos que a origem de nossos males está em nosso organismo físico ou nas coisas externas. A causa das doenças morais e físicas estão mais no íntimo de cada um do que propriamente no corpo material. Este último é sem dúvida o local onde se manifestam as doenças que têm também origens psíquicas, emocionais ou espirituais.

Tornou-se uma prática comum os médicos receitarem tranqüilizantes para pessoas que estão com sintomas que aparentemente têm como causa anomalias num órgão digestivo, cardíaco etc. Sabem estes profissionais que se faz necessário atacar a causa. Porém, uma vez constatado o mal, lutam de todas as formas para equilibrar o paciente, principalmente medicando o ser para que ele não sofra tanto até que seja sanada a raiz da enfermidade.

Temos no Centro Espírita fatos semelhantes ao que ocorre no cotidiano das clínicas médicas. Referimo-nos às doenças de ordem espiritual, emocional e a busca à Casa Espírita para solucionar estes males. Ao chegarmos ali, queremos que nos tirem, num espaço curto de tempo, o mal que estamos vivenciando. Nada mais natural, para quem está sentindo na “pele” dramas terríveis. Ocorre que neste processo terá que haver a conscientização do ser para que haja uma melhora verdadeira.

A Casa Espírita orienta com base na Codificação Kardecista, tendo o dever de assistir o necessitado levando-lhe a orientação. O esclarecimento é primordial para nos mantermos equilibrados. No entanto, outros meios deverão ser usados para o auxílio dos enfermos ou simplesmente para ajudar aqueles que ali vão buscar um fortalecimento.

O Passe, por exemplo, sempre foi um poderoso complemento, pois é o remédio que ataca o efeito, aliviando-nos até que seja curada a raiz do mal. Ocorre porém, que alguns se enganam ao pensar que ele é a única solução. E outros erram em querer eliminá-lo por achar que ele nem sempre é necessário. Trata-se de um dever da Casa Espírita orientar o público, mostrando o que é esta energia, para que serve, e quais seus benefícios.

E o espírita, deve tomar Passe? Conhecendo a realidade humana, torna-se difícil dizer se este ou aquele não precisa receber um fortalecimento fluídico. Por mais que nos esforcemos, estamos longe de ter o equilíbrio desejado. Se o passe pode nos recompor, por que deixá-lo de lado? Qual o motivo? Medo da mistificação? Do ritualismo? De criarmos “Papa-passes”? Isso tudo não existirá se fizermos com responsabilidade.

O Passe é usado há milênios e mesmo na época de Jesus não era novidade. O Mestre fez uso desta prática levando auxílio e curando a muitos. Allan Kardec em diversos trechos de sua obra se refere à importância da transmissão desta energia.

Façamos uso do remédio que nos alivia, conscientes de que a cura virá a partir do momento que atacarmos a causa de nossos males: a ignorância espiritual.

(Fonte: Jornal Boa Nova – Edição: 17 – Março – Abril – 1998)

RAINHA MARIA MULAMBO

SALVE  DONA MARIA MOLAMBO


Sua lenda diz que Maria Mulambo nasceu em berço de ouro, cercada de luxo. Seus pais não eram Reis, mas faziam parte da corte no pequeno reinado. Maria cresceu sempre bonita e delicada. Com seus trejeitos, sempre foi chamada de princesinha, mas não era. Aos 15 anos, foi pedida em casamento pelo rei, para casar-se com seu filho de 40 anos.

Foi um casamento sem amor, apenas para que as famílias se unissem e a fortuna aumentasse. Os anos se passavam e Maria não engravidava. O reino precisava de um outro sucessor ao trono. Maria amargava a dor, além de manter um casamento sem amor, ser chamada de árvore que não dá frutos; e nesta época, toda mulher que não tinha filhos era tida como amaldiçoada.

Paralelamente a isso tudo, a nossa Maria era uma mulher que praticava a caridade, indo ela mesma aos povoados pobres do reino, ajudar aos doentes e necessitados. Nessas suas idas aos locais mais pobres, conheceu um jovem, apenas dois anos mais velho que ela, que havia ficado viúvo e tinha três filhos pequenos, dos quais cuidava como todo amor. Foi amor à primeira vista, de ambas as partes, só que nenhum dos dois tinha coragem de aceitar esse amor. O rei morreu, o príncipe foi coroado e Maria declarada rainha daquele pequeno país.

O povo adorava Maria, mas alguns a viam com olhar de inveja e criticavam Maria por não poder engravidar. No dia da coroação os pobres súditos não tinham o que oferecer a Maria, que era tão bondosa com eles. Então fizeram um tapete de flores para que Maria passasse por cima. A nossa Maria se emocionou; seu marido, o rei, morreu de inveja e ao chegar ao castelo trancou Maria no quarto e deu-lhe a primeira das inúmeras surras que ele lhe aplicaria. Bastava ele beber um pouquinho e Maria sofria com suas agressões verbais, tapas, socos e pontapés. Mesmo machucada, nossa Maria não parou de ir aos povoados pobres praticar a caridade.Num destes dias, o amado de Maria, ao vê-la com tantas marcas, resolveu declarar seu amor e propôs que fugissem, para viverem realmente seu grande amor. Combinaram tudo. Os pais do rapaz tomariam conta de seus filhos até que a situação se acalmasse e ele pudesse reconstruir a família. Maria fugiu com seu amor apenas com a roupa do corpo, deixando ouro e jóias para trás.

O rei no princípio mandou procurá-la, mas, como não a encontrou, desistiu. Maria agora não se vestia com luxo e riquezas,agora vestia roupas humildes que, de tão surradas, pareciam mulambos; só que ela era feliz. E engravidou. A notícia correu todo país e chegou aos ouvidos do rei. O rei se desesperou em saber que ele é que era uma árvore que não dá frutos. A loucura tomou conta dele ao saber que era estéril e, como rei, ele achava que isso não podia acontecer. Ele tinha que limpar seu nome e sua honra.Mandou seus guardas prenderem Maria, que de rainha passou a ser chamada de Maria Mulambo, não como deboche mas, sim, pelo fato de ela agora pertencer ao povo. Ordenou aos guardas que amarrassem duas pedras aos pés de Maria e que a jogassem na parte mais funda do rio. O povo não soube, somente os guardas; só que 7 dias após esse crime, às margens do rio, no local onde Maria foi morta, começaram a nascer flores que nunca ali haviam nascido. os peixes do rio somente eram pescados naquele local, onde sófaltavam pular fora d’água. Seu amado desconfiou e mergulhou no rio, procurando o corpo de Maria; e o encontrou.

Mesmo depois de estar tantos dias mergulhado na água, o corpo estava intacto; parecia que ia voltar à vida. os mulambos com que Maria foi jogada ao rio sumiram. Sua roupa era de rainha. Jóias cobriam seu corpo. Velaram seu corpo inerte e, como era de costume, fizeram uma cerimonia digna de uma rainha e cremaram seu corpo. O rei enlouqueceu. Seu amado nunca mais se casou,cultuando-a por toda a vida, à espera de poder encontrá-la de novo. À espera de poder reencontrar sua Maria. No dia em que ele morreu e reencontrou Maria, o céu se fez do azul mais límpido e teve início a primavera.

Assim a nossa Maria, que agora era a rainha Maria Mulambo, virou lenda; e até hoje é invocada para proteção dos amores impossíveis.

COMO MULAMBO É …
D. Maria Mulambo mostra-se quase sempre bonita, feminina, amável, elegante, sedutora. Ela gosta das bebidas suaves como vinhos doces, licores, cidra, champanhe, anis, etc. E gosta dos cigarros e cigarrilhas de boa qualidade, assim como também lhe atrai o luxo, o brilho e o destaque. Usa sempre muitos colares, anéis, brincos, pulseiras, etc. Exus e pombagiras dessa linha (estrada) são os mais Brincalhões. Suas consultas são sempre recheadas de boas gargalhadas, porém é bom lembrar que como em qualquer consulta com um guia incorporado, o respeito deve ser mantido e sendo assim estas brincadeiras devem partir SEMPRE do guia e nunca do consulente.
São os guias que mais dão consultas em uma gira de Exu, se movimentam muito e também falam bastante, alguns chegam a dar consulta a várias pessoas ao mesmo tempo. Nesta linha trabalham vários espíritos, desde os Exus da estrada propriamente dita,como também os Ciganos e a malandragem. Também se encaixam nesta linha alguns espíritos, que apesar de já terem atingido um certo grau de evolução, optaram por continuar sua jornada espiritual trabalhando como Exus .



Simpatia de Amarração

Maria

1 maçã bem vermelha.

7 fitas coloridas(exceto cor preta)

Um pouco de açúcar cristal

Um pouco de mel

Um pedaço de papel branco sem linhas

1 vela vermelha.

Modo de fazer:

1*=Lave a maçã,e depois faça uma tampa na parte de cima(com a faca),em seguida,

retire o miolo da maçã,fazendo assim,um buraco,reseve.

Escreva o nome completo da pessoa que deseja amarrar no papel,se não tiver o nome

completo,escreva:ex:(fulano pé e cabeça),e coloque o papel dentro da maçã,ponha também,dentro da maçã o açúcar cristal e o mel.

2*=Tampe a maçã,com a sua propria tampa,e em seguida amarre a maçã com as 7

fitas,uma de cada vez,pensando na pessoa amada.

Depois de amarrado a maçã,ascenda uma vela ao lado dela,

pedindo a Maria Padilha que lhe dê a pessoa amada.

3*=Esse trabalho deve ser deixado no mato ou grama após 7 dias de feito.

O mais importante para que o trabalho dê certo é a FÉ,pois sem ela nada na vida dá

algum resultado.

Salve Maria Padilha.



magias giganas

ALCOVA

Que os ciganos são passionais não é segredo. Que, apesar de tudo que se divulga em contrário, são igualmente fiéis, muita gente duvida. Ocorre que a vida num acampamento exige um grau de maturidade muito grande e um respeito comum entre homens e mulheres que colocam a família e sua união acima de tudo.

As milenares artes do amor, sejam aquelas inspiradas pelo Kama Sutra da Índia, sejam as artes secretas do amor dos egípcios ou a ciência do borralho, da Pérsia, todo esse conhecimento são de conhecimento geral do povo cigano, dando-lhes um precioso instrumento para, no segredo de suas alcovas, exercitarem sua criatividade e atingirem o refinamento na arte de amar.

Isso não significa que não tenham seus problemas íntimos. Todo casal tem. Quando isso ocorre, lançam mão de alguma simpatia específica, dentre tantas que fazem parte do repertório cigano.

Para um casal esgotar todas as possibilidades de amor previstas nas artes da sedução uma vida seria pouco. Assim, tudo é novidade a cada novo encontro sob os lençóis. As simpatias permitem que esses encontros sejam sempre satisfatórios para que novas e sucessivas experiências possam ser tentadas, enriquecendo sobremaneira a vida amorosa do casal. São simpatias que podem ser utilizadas pelosgadjos sem problema algum. Como estas, por exemplo.

PARA PRENDER SEU AMOR

Ciganas são passionais e ciumentas, mas não costumam dar sopa para o azar e preferem confiar, desconfiando. Antes de esperar para ver ou sentir que seu amor está correndo risco de acabar, pois seu prometido ou seu marido está mudado, ou você nota que alguém está querendo tomá-lo de você, faça esta simpatia.

Pegue um metro de fita de cetim vermelha, numa sexta-feira, às seis horas da tarde. Escreva o nome dele sete vezes nessa fita, usando um pedaço de carvão.

Dobre a fita de cinco em cinco centímetros, passe-a com ferro quente para que não se desdobre e diga o seguinte: "Meu amor estará seguro e nada nem ninguém o tomará de mim. "

Coloque essa fita dentro de uma caixa de fósforos vazia e deixe-a na porta de uma igreja. Assim você prenderá seu amor e ele nunca deixará você.


PARA SEGURAR MARIDO

As mulheres do mundo inteiro, que têm seu homem, são casadas ou têm um amante, correm o risco de perder a pessoa amada para uma outra mulher ou até por acabar o amor dele. Isso não isenta as ciganas, que também sabem que isso pode acontecer com elas. Só que, antes que o mal cresça, costumam cortar-lhe a cabeça. Esta simpatia é para isso.

Na lua cheia, pegue duas fitas de seda branca bem fina e com elas tire a medida dos pés da pessoa amada. Escreva o nome dela em cada fita, usando batom vermelho, perfume com seu perfume predileto, dobre-as e amarre-as com linha vermelha para que não se soltem. Deixe passar uma noite no sereno e depois coloque-as dentro do travesseiro da pessoa amada.

Seu marido ou amante não poderá saber que você fez esta simpatia e ele nunca irá se separar de você por nenhum motivo.


PARA REFORÇAR OS LAÇOS DE UNIÃO

Se a pessoa que você ama, seu marido, amante ou namorado, está muito estranho ultimamente, com conversas que você não consegue entender onde ele pretende chegar e isso está deixando você preocupada e pensando coisas, como a possibilidade de ele ter encontrado outra mulher, não facilite com essas coisas. Qualquer cigana sentiria isso logo e tomaria uma providência imediata.

Eis aqui uma simpatia que prenderá a pessoa que você ama em você, reforçando os laços de união que os unem e nada o fará separar-se de você.

Com uma faca que nunca foi usada antes, retire um pedaço de casca de um ipê-roxo e outro pedaço de um ipê-amarelo. No interior da casca do ipê-roxo, escreva seu nome e atrás do amarelo, o nome da pessoa amada. Junte uma casca à outra, amarre com uma fita vermelha com a quantidade de metros correspondente aos anos em que estão juntos. Se for um ano, um metro e assim por diante. Se não tiver completado um ano ainda, use um metro justo.

Depois disso, vá até uma igreja e, aos pés do seu santo protetor, faça um oração pedindo ajuda e que não deixe seu amor se separar de você.

Volte para sua casa e com a mesma faca usada para retirar as cascas, vá até a beira de um rio ou uma represa, faça um buraco bem fundo, em um lugar que ninguém veja, e enterre as cascas. Sobre o buraco coloque uma pedra bem grande.

Nesta noite, quando for se deitar, faça uma oração agradecendo seu santo protetor.

Repita essa oração por sete noites seguidas.

PARA DESMANCHAR TRABALHO

Quando você notar que seu marido está estranho na cama, não comparecendo como antes ou fazendo amor sem emoção alguma, quase como uma obrigação, pode ser que tenha uma outra mulher nessa história, armando algum trabalho para tomá-lo de você.

Num acampamento cigano isso não é comum, pois os magos são escrupulosos e não incentivam traições e desavenças. Isso não impede que mulheres desesperadas procurem ajuda fora do seu meio, praticando trabalhos condenáveis pela tribo e pela própria raça. Não facilite com essas coisas. Aja com rapidez. Numa segunda-feira, compre um prato de barro, forre-o com tecido branco de seda, cetim ou tenda, encha-o de frutas e coloque-o sobre a mesa.

Quando seu amor retirar uma fruta de lá, imediatamente retire todas as frutas que estão lá e guarde-as. Coloque no lugar delas uma porção do salgadinho que ele mais gosta e faça a mesma coisa. Quando ele tirar um salgadinho, retire todos e coloque os doces que ele mais gosta. Quando ele comer um, retire tudo de novo e junte com as frutas e os salgadinhos.

Coloque tudo dentro de um saco plástico e leve para um canto de muro ou de cerca. Abra um buraco fundo e enterre isso. Coloque uma pedra pesada por cima e sobre a pedra acenda três velas vermelhas. Quando acender cada vela, repita três vezes para cada uma as orações seguintes:

1° vela: "Desta fruta ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém pegará. "

2° vela: "Deste salgado ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém tocará."

3° vela: "Deste doce ninguém comerá. Quem come sou eu, ninguém lamberá."

Nunca mais repita esta simpatia. É muito importante que ele ou qualquer uma outra pessoa jamais saibam que você fez esta simpatia, mesmo que vocês, no futuro, venham a se separar por sua vontade.


PARA DESCOBRIR SEGREDO

As ciganas são tão ou mais curiosas que as mulheres dos gadjos. Não toleram que lhe guardem segredos, principalmente aqueles segredos de alcova. Isso acontece porque todo mundo esconde um segredo que não revela nem na hora da morte. E enquanto existirem segredos, sempre existirá alguém tentando descobri-lo.

Se você quer descobrir os segredos da pessoa amada, faça esta simpatia.

Pegue um metro de cetim vermelho e novo, faça uma almofada e encha-a com palha de milho seca que deverá ser cortada com um tesoura nova. Costure a almofada com uma linha também vermelha e coloque-a na cama, sobre o travesseiro dele.

A partir daí, fique observando, até um dia em que ele dormir sobre essa almofada. Quando isso acontecer, pergunte aso ouvido dele, de forma bem suave, quais são seus segredos. Repita o pedido por três vezes.

A partir daí, seja dormindo ou acordado, ele começará, pouco a pouco, a revelar seus segredos. Fique atenta, pois ele jamais dirá que vai lhe contar um segredo. Simplesmente deixará escapar.

PARA AFASTAR UM AMOR INFIEL

Já dissemos antes que os ciganos são passionais e até vingativos. A honra é uma coisa muito séria e muitas vezes, casos graves de ofensa levam a situações imprevistas e drásticas.

Para evitar isso, quando uma cigana tem certeza de que foi traída, se tiver bom senso, prefere evitar uma tragédia, lançando mão de uma simpatia que resolva a situação, fazendo com que o traidor se afaste e muitas vezes deixe o acampamento.

Se você está com uma pessoa que amava muito, mas descobriu que ela não fez por merecer seu amor, deixe de sofrer e trate de afastá-lo de você. Se a fez sofrer uma vez, fará outras.

Pegue uma foto dele e coloque dentro de um prato branco. Sobre essa foto coloque uma porção da pimenta, de sal grosso, de vinagre e coloque ao sol para secar. Quando estiver seca, coloque pólvora em cima e ateie fogo, tomando o máximo de cuidado com isso.

Quando a fumaça se dissipar, sem olhar o interior do prato, cubra-o com um outro prato e enterre bem fundo num canto de certa ou de muro. Espalhe sal grosso por cima do buraco, depois de tampá-lo.


PARA EVITAR FALHAS

Uma cigana conhece e confia no taco de seu marido ou prometido. Assim, se repentinamente ele não consegue ficar pronto para o amor, imediatamente ela desconfia de alguma coisa. Pode ser um problema físico ou psicológico dele, mas nada que o conhecimento das artes do amor não supere. Se mesmo assim o problema persistir, é sinal de que prepararam alguma para o casal.

Assim sendo, o melhor a fazer é desmanchar isso com uma simpatia muito poderosa.

Para tanto, logo que amanhecer, num prato ou pote de barro coloque uma calcinha usada sua e uma cueca usada dele. Coloque junto uma fatia bem fina de maçã e uma pimenta vermelha ardida. Deixe no sol o dia inteiro. Quando começar a anoitecer, pegue o prato ou pote, coloque um pouco de álcool e depois, com cuidado para não se queimar, coloque fogo.

Deixe queimar e, quando o fogo se apagar, pegue as cinzas coloque dentro de um saquinho de tecido vermelho e deixe debaixo do colchão, no lado em que ele dorme, por sete noites seguidas. Após isso, jogue o saquinho em um terreno vazio, numa encruzilhada ou dentro de um rio que tenha águas correntes.

PARA AFASTAR AMANTE PERIGOSA

Cada um sabe de si e briga pelo que acha certo. Isto é parte da filosofia de vida do povo cigano, que não obriga ninguém fazer o que sua consciência não quer.

Quando uma cigana descobre que seu homem tem uma amante, pode reagir de duas maneiras, saindo da vida dele ou lutando pelo seu amor. Isto porque, versadas nas artes mágicas do amor, ela sabe muito bem como se pode virar a cabeça de um homem, sem que ele perceba que isso acontece.

Assim, quando a cigana se vê diante de uma rival perigosa, sua reação é aceitar o desafio e lutar pela sua felicidade. Suas armas são simpatias poderosas como esta.

Numa sexta-feira, exatamente à meia noite, pegue uma foto de seu homem, coloque dentro de um saquinho de algodão branco, com sal grosso, areia e pedrinhas de rio. Deixe passar uma noite no sereno e no outro dia, antes do sol nascer, tire a fotografia, coloque dentro um pedaço de carvão e vá jogar isso no quintal da casa dessa mulher. Se ela morar num apartamento, deixe na porta dela.

PARA ACABAR COM UMA RELAÇÃO SEM SOFRER

Há coisas num relacionamento entre homem e mulher que são toleráveis e outros que não são. Muitas mulheres continuam vivendo com um homem, simplesmente porque não conseguem se libertar dele, por mais que ele a faça sofrer.

Uma cigana normalmente não tolera isso, mas nem todo mundo é igual e, de repente, uma de nós se vê numa situação como estas. Para sair disso sem sofrer, a solução é usar uma simpatia bem forte e está é uma delas, indicada para essas situações.

Pegue uma foto ou uma peça de roupa dele, coloque dentro de uma bacia com um pouco de cinzas de uma fogueira que se queimou recentemente, três pedaços de carvão ou três pedaços de madeira, sal grosso e pimenta-do-reino em grãos. Jogue álcool em tudo e acenda, tomando o máximo cuidado para não se queimar.

Enquanto isso estiver queimando, acenda sete velas brancas ao redor da bacia e reze ao seu santo protetor, pedindo para ele ajudá-la a sair desta relação, sem sofrimento.

Quando o fogo se apagar, coloque as cinzas dentro de uma pequena caixa e guarde em um lugar que só você possa encontrar durante três. Depois desse tempo, pegue essa caixa e jogue no lixo. É muito importante que ninguém fique sabendo que você fez esta simpatia, pois se alguém descobrir, tudo pode sair errado e você pode se complicar muito. Tome cuidado!

PARA SE LIVRAR DE UM HOMEM

Ciganas têm coração e, como todas as mulheres, também têm suas fraquezas. De repente, ela descobre que não ama mais seu prometido e que está apaixonada por um outro. Antigamente ela se resignava e vivia uma vida inteira de mentira, sem poder confessar seu amor. Modernamente, porém, ela recorre a uma simpatia para resolver a situação.

Ela tanto serve para as mulheres casadas como para as solteiras, que querem se livrar do noivo ou namorado. Se é isso o que você quer, faça esta simpatia com os devidos cuidados, pois tudo que aqui se faz aqui se paga. Se alguma coisa sair errado, você poderá se prejudicar muito, pois ela se voltará contra você e poderá causar um certo estrago em sua vida.

Numa noite de sexta-feira de lua cheia, pegue qualquer pertence da pessoa que você quer que se afaste, de preferência um lenço ou um par de meias. Pregue isso em um pedaço de madeira com um prego velho e enferrujado, depois enterre num local bem distante de sua casa, onde você não costuma ir.

Durante um ano você estará proibida de passar por esse lugar para não receber a grande carga de energia negativa que plantou. Se isso acontecer, prejudicará sua vida por muito tempo.

PARA ABRIR CAMINHO

Quando uma cigana está com um homem, mas sente que a relação esfriou e não há nada que ela possa fazer para reaquecê-la, não fica se apegando ao passado e tentando salvar o que não mais existe. Pelo contrário. Ela toma uma atitude ativa diante da situação, limpando seu caminho para que um novo amor chegue até ela.

Se você quiser fazer o mesmo, faça esta simpatia que deixará seu caminho livre para encontrar uma outra pessoa que seja ideal em sua vida e que goste realmente de você.

Numa sexta-feira, pegue um prato de barro, coloque dentro um sabugo de milho seco, um pouco de vinagre, sal grosso e pimenta-do-reino moída. Cubra com um pano preto e deixe isso debaixo da cama, do lado em que ele dorme, por sete dias.

Após isso, enterre longe de sua casa, evitando passar pelo local nos próximos sete meses. Se você quiser tirar dinheiro dele, após esses sete dias, coloque sete moedas e um pouco de mel no prato e deixe mais sete dias, antes de enterrá-lo.


PARA MULHER MANDONA

Para uma cigana, dominar um homem é tarefa fácil, graças aos conhecimentos que ela tem das artes mágicas do amor e até das artes mágicas em geral, como as simpatias, por exemplo.

Assim, ela dispõe de meios sutis de manter um homem sob seu controle, sem precisar fazê-lo abertamente ou humilhá-lo. Isso porque ela sabe que o cigano também tem suas simpatias e pode desbancar uma mulher mandona facilmente.

Se você, homem, está sofrendo nas garras de uma mulher dominadora e não gosta disso, dê logo um jeito na fera.

Pegue um pedaço de couro que tenha sido tirado de um arreio ou de uma sela de montaria velha, junte com uma foto da mulher e enrole, formando um canudo. Amarre-o com uma tira de couro tirada do arreio ou da sela, coloque dentro de uma caixa com tampada e fechadura ou cadeado, para que ninguém a abra, e guarde-a num esconderijo seu.

Pelo menos uma vez por dia, pegue essa caixa e bata três vezes na tampa, dizendo: "Aqui quem manda sou eu. Neste terreiro quem canta é macho, quem obedece é a fêmea."

Ela nunca poderá descobrir que você fez esta simpatia, pois se isso acontecer, vai ser difícil remediar o entrevero.

PARA ESQUECER UM AMOR

Para os ciganos, amar é uma das melhores coisas que existe no mundo, mas também pode ser a pior, se esse amor não for correspondido. É muito bom poder viver um amor e poder amar uma pessoa para sempre. Infelizmente nem tudo dura para sempre, seja nas cidades dos gadjos, seja no acampamento dos ciganos.

O amor pode acabar e, quando isso acontece, é muito doloroso. O pior, no entanto, é quando esse amor acaba somente por parte de alguma pessoa, mesmo com as tentativas da outra de tentar salvar, no meio dos escombros, um resto de amor. Não adianta. Dizem que para esquecer um amor que passou, só outro amor mas as vezes isso não é tão fácil assim.

Se isso aconteceu com você, se você não está conseguindo esquecer a pessoa que tanto amava, faça esta simpatia para conseguir superar a dor e esquecer esse amor.

Pegue um pedaço de papel grande, escreva o nome do ser antigo amor com tinta preta, vá até a beira de um rio que tenha correnteza e pique esse papel jogando em pedacinhos, atirando-os dentro da água.

Antes de jogar o último, pedacinho feche os olhos e diga em voz alta: "Assim você vai e eu o esqueço para sempre!".

Vá embora sem olhar para trás e não passe por esse lugar nos próximos três meses.

PARA NÃO SER TRAÍDA

Traição não acontece somente entre os gadjos. No meio dos ciganos isso, apesar de raro, também pode acontecer. Quando uma pessoa é traída, fica muito desapontada e até perde totalmente a confiança em si mesma e nas outras pessoas.

A dor é muito forte. A vergonha machuca, o orgulho próprio vai a zero e a vontade é sumir. Só que é preciso superar isso e ressurgir das cinzas fortalecida. Por isso o melhor sempre foi se prevenir contra as traições, lançando mão de uma simpatia, antes que seja tarde.

Pegue um pouco de palhas bentas secas, algumas folhas de hortelã e de erva cidreira, coloque tudo dentro de um prato de barro com algumas pedras de sal grosso e acenda. Quando estiver queimando, apague com vinagre para fazer fumaça. Feche todas a porta e a janela de seu quarto e coloque a bacia debaixo da cama do casal. Fique atenta, para que o fogo não se acenda e provoque algum acidente. Quando terminar de fazer fumaça, abra a porta e a janela para arejar. Repita esta simpatia por mais duas vezes, sempre aos domingos de manhã.

PARA CONSERVAR SEU AMOR ARDENTE

Uma cigana detesta frio ou morno na cama. Ali tudo deve ser muito ardente e passional. Para isso, não hesita em usar uma simpatia para esse fim, mantendo sua relação sempre em alta temperatura. Faça o mesmo, pegando uma rosa vermelha em botão dentro de um vidro, com uma pimenta vermelha e óleo de oliva. Guarde sobre uma bíblia por sete dias. Depois disso, pique a pimenta e o botão de rosa e prepare um tutu de feijão ou outro prato do gosto dele. Comam juntos, depois seduza-o para irem para a cama.


PARA INCENDIAR OS LENÇÓIS

Uma cigana aprecia o amor ardente e atrevido. Para isso, lança mão de certas simpatias ocultas, muito úteis para esquentar qualquer tipo de relação, não apenas nos dias frios, mas todos os dias do ano. Esta é uma delas. Quando você estiver excitada, passe um botão de rosa vermelha pelas suas partes íntimas, depois pique-o e coloque-o na salada preferida de seu amante, temperando-a com sal e com limão apenas. Se tiver, pique também folhinhas frescas de alecrim e hortelã.

Repita quantas vezes quiser, exceto nas quartas-feiras.