quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Santeria, o Caminho dos Santos

Santeria, o Caminho dos Santos

No cristianismo, o culto aos santos é denominado de «Dúlia», sendo que a Dulia é uma prática religiosa também denominada de «piedade popular», ou seja:  apiedade popular ou a Dulia, são expressões de espiritualidade e de fé que consistem no culto privado e pessoal  de uma comunidade, ou de um grupo de pessoas, ou de um individuo, relativamente a um santo ou aos santos.
A pratica da piedade popular ou da Dulia nem sempre foi bem recebida pelo Vaticano, sendo que em 1376, na obra Directorium inquisitorum , ( o Manuel do Inquisidor), de Nicholas Aymerich, a Dulia era considerada uma forma de feitiçaria secular herética. 
Esta perseguição medieval contra a  «Dulia» ou a «piedade popular», ocorreu principalmente porque a dulia consistia ao mesmo tempo na dedicada devoção aos santos, sendo porem que possuía em  uma forte componente mística, onde é comum encontrar elementos de apelo a formulas esotéricas mais ou menos maria_madalena01.JPGobscuras, convivendo lado e lado com as mais iluminadas orações aos santos.
Estas praticas espirituais misturavam-se ocorriam em simultâneo na dulia, fazendo todas elas parte do mesmo corpo de crenças religiosas, o que despertou a reprovação da inquisição medieval.
Na verdade, se tal sucedia não era porque a «dulia» ou a «piedade popular» fossem formas de veneração ás trevas, ( não o são, nem nunca o foram), mas sim porque na sua mais profunda essência, a dulia ou a piedade popular ou a Santeria professam que tudo aquilo que existe está sob poder de Deus, e que por isso através dos santos tanto é possível apelar ás bênçãos de Deus, como é possível obrigar as forças de trevas a cumprir com ordenamentos e instruções para certos fins, pois que se defende que o poder de Deus se estende sobre todas as coisas, sejam elas de luz ou trevas.
Ao contrario das visões maniqueístas e dualistas que vêem o mundo de forma simplista, ou seja, como um campo a «preto e branco» onde existe o «bem» de um lado e o «mal» do outro, já as praticas da Santeria tendem a ver o mundo não na visão redutora da dualidade «branco e negro», mas sim a ter o mundo como uma imensa palete de inúmeras cores, onde Deus tem poder sobre todas elas, e por isso tanto luz como trevas em todos os seus espectros, gradações e dimensões podem ser usadas por Deus, sob a autoridade de Deus, e através dos santos.
É nesta «Dulia» e nesta manifestação de «Piedade Popular», que a Santeria europeia possui algumas das suas mais ancestrais raízes teológicas e teosóficas.
santeria, é uma religião, na qual se professa o chamado «caminho dos santos», ou seja, a dedicadíssima e especial adoração dos santos, no qual o seus praticantes e sacerdotes são os chamados «santeros», ( quando sendo eles os «sacerdotes» masculinos desta religião), e «santeras», ( quando sendo elas as sacerdotisas femininas desta religião), da mesma forma que em Umbanda ou Kimbanda podereis encontrar os «Pais de Santo» ou «Mães de Santo».

As doutrinas espirituais da santeria desenvolveram-se a partir da simbiose entre o cristianismo e as crenças religiosas de origem africana, havendo-se esta doutrina religiosa fundado em países como Brasil, Cuba,  Panamá, Porto Rico, Republica Dominicana, Venezuela, Argentina, México e tendo-se propagado ate mesmo nos Estados Unidos da América, Espanha e França.

As origens da santeria residem num processo de sincretismo entre as religiões de origem africana, ( religiões onde a crença em espíritos ancestrais se encontra profundamente presente), e o cristianismo que foi levado aos povos africanos através dos movimentos de colonização das potencias europeias entre os sec. XV e XVII, nomeadamente os reinos inglês, francês, português e espanhol, que maioritariamente dominavam o espectro do cenário colonial a nível mundial.

Assim, confrontados com as evangelizações obrigatórias que os padres missionários impunham aos escravos, os povos colonizados passaram a adorar certos santos cujas características mais se assemelhavam com os seus espíritos ascestrais, e assim nasceu todo o processo de sincretismo religioso através do qual os missionários julgavam observar com sucesso a implantação da fé cristã nos povos recentemente evangelizamos, ao mesmo tempo que os escravizados descobriam uma forma de conseguir , em segredo, manter e praticar as suas próprias crenças religiosas. Com o passar do tempo,  os povos colonizados começaram efectivamente a assimilar com grande profundidade as crenças cristas, ao passo que perpetuando as suas praticas espirituais ancestrais, o que conduziu ao nascimento de uma nova corrente religiosa de natureza efectivamente cristã, a que se denominou «o caminho dos santos».

Assim e como a história é um processo constantemente evolutivo que se desdobra em espirais, se da Europa partiu o cristianismo para todo o mundo, séculos mais tarde o cristianismo imbuído dos princípios espirituais dos povos que tocou, acabou retornando á Europa.

Actualmente, no ocidente europeu – Espanha, Portugal, França, Italiaetc –  as crenças religiosas da santeria  já se  implantaram e são praticadas com grande veneração, se bem que de formas mais afastadas das suas doutrinas originais de África e do continente Americano, ou seja, não tão enraizadas nos princípios das religiões africanas, mas mais associadas e centradas nas crenças doutrinarias do cristianismo, naquilo a que se chama de «Dulia» ou «piedade popular», e que são manifestações teológicas que provem desde a idade media.
As ramificações actuais da santeria praticada na Europa – o chamado caminho dos santos – assenta mais na predominância de devoção a Jesus Cristo, ( aquele a quem se chama o SANTO DOS SANTOS), assim como na fidelíssima devoção de santos cristãos.
Na doutrina europeia - cristã do «caminho dos santos»,  Jesus é tido não apenas como um ser puramente divino, mas antes como um homem de «carne e osso» no qual habitou um espírito celestial. 
Crê-se nessa doutrina que no corpo de um ser humano que foi Jesus, habitou o espírito celestial de Cristo, e crê-se que foi por isso que Jesus afirmou que iria destruir o templo de Deus em 3 dias, e em 3 dias o reconstruiria. Ao dizer isso, crê-se que Jesus não se estava referindo ao templo de Israel, mas sim ao seu próprio corpo, que era um templo, ( uma habitação), onde habitava o espírito do filho de Deus, ( Cristo), e que o seu corpo, ( o templo), seria destruído, ( morto e crucificado), para que em 3 dias o espírito que nele habitava a ele regressasse e se operasse a ressurreição.  Por assim ser, assim se explica que Jesus haja dito no momento da sua morte: «Deus, porque me abandonaste?», ou seja, não porque Deus o tivesse realmente abandonado, mas porque o espírito de Cristo que habitava no corpo humano de Jesus dele saiu, para 2 dias depois regressar, operando-se a ressurreição. Tudo isto vem dar força ao ensinamento que Jesus afirmou, e no qual dizia que o «corpo é o templo no qual habita o espírito», pois que em verdade o corpo do ser humano Jesus, foi o templo onde habitou o espírito celestial de Cristo, o filho de Deus.
E porque assim se crê que num homem pode habitar um espírito superior, e porque se crê que assim acontece com os santos, ( que são por isso pessoas escolhidas por Deus para neles residir um espírito de Deus), assim se professa a devoção e crença nos santos, sendo que de todos os santosJesus é tido como o SANTO DOS SANTOS.
Contudo, o «caminho dos santos» mesmo nas suas ramificações europeia – cristas, continua a conter no seu corpo de crenças, tal como nas doutrinas originais da santeria, a vertente da prática mística. O «caminho dos santos» continua por isso a professar igualmente a celebração de praticas místicas e espirituais, ( aquilo a que se chama vulgarmente de «magia», ou de «feitiçaria»), através das quais se tenta invocar e contactar com espíritos, ( á imagem do que sucedia nas religiões africanas), sendo que tal não é visto como motivo de «pecado», mas sim como um exercício de fé e de contacto com o mundo espiritual e por isso… com Deus, que é senhor de todos os espíritos. Tal como nas religiões africanas o contacto com os espíritos ancestrais é um elemento fundamental do seu corpo de crenças, também no caminho dos santos o contacto e a intercedencia com os espíritos dos santos, assim como com os espíritos em geral, é uma pratica considerada legitima e fundamental.                                                                   
Nas doutrinas ocidentalizadas do caminho dos santos, considera-se normalmente que Deus é um ser poderosíssimo, cuja a vastidão, poder e complexidade é de tal forma infinita que a mente humana jamais poderá aspirar a conhece-Lo na sua plenitude.  Diz um velho provérbio, que: «O ser humano é menor que um grão de mostarda diante de Deus,  sendo que Deus é maior que a maior das montanhas diante do grão de mostarda». Assim, não pode o homem aspirar a conhecer um ser de tamanha amplitude, mas antes e apenas pode o homem aspirar a adorar Deus, a ter fé em Deus, ( essa sim, sendo apenas do tamanho de um grão de mostarda, pode contudo operar o milagre), e aceitar a sua existência, os seus mistérios e os seus desígnios. Deus é um ser distante no sentido em que é um ser que reside nas próprias origens da criação, e é por isso uma essência de tamanha sabedoria, luz e vastidão que ao ser é humano impossível alcançar ou perceber a sua glória. Nesse contexto, a adoração de espíritos de santos, (espíritos sábios, poderosos e ancestrais), que são espíritos elevados a um plano superior da existência, é uma das formas de tentar um contacto com essa essência grandiosa que é Deus. Os espíritos dos santos tem poder e sabedoria para operar milagres, e os espíritos dos santos podem através do plano elevado em que habitam, interceder com maior eficácia junto de Deus. Daí a crença na pratica do contacto com os espíritos, ( sejam os espíritos de santos, ou espíritos elementais, ou espíritos em geral), como forma de não apenas apelar aos seus poderes, como de apelar a uma intercedência eficaz junto de Deus.
O dom de contactar com espíritos,  ou de tentar interceder junto de espíritos, ( sejam espíritos de anjos, de ancestrais falecidos, de demónios ou de forças terrenais), não é visto como um pecado mas sim como um instrumento de Deus.
Esse dom é tido como o dom da sabedoria e da fé.
Esse dom, não é tido nem como bom, nem como mau, mas antes como um exercício de fé. E esse exercício é bom se for professado conforme os projectos de Deus.
Assim se pode observar nas escrituras: 
Moisés afirmou que o contacto com espíritos de Deus, ( o dom da profecia), era santo e era bom.
Salomão contactou com espíritos de Deus e espíritos de demónios.
Jesus contactou com espíritos, fosse com espíritos de ancestrais falecidos, ( Elias e Moises), fosse com espíritos de demónios,  ( Jesus comunicou com um demónio nos 40 dias de estadia no deserto, assim como contactou com outros vários demónios e espíritos  para operar os exorcismos), sendo que possuiu dentro de si o espírito do filho de Deus, ou seja, o espírito de Cristo
Daniel contactou com espíritos de Deus
Balaão embora praticando magias, contactou e dialogou com um anjo de Deus 
Os discípulos de Jesus foram incorporados por espíritos de Deus, após o qual começaram a falar em diversas línguas e operaram milagres
Os três magos do oriente que presenciaram o nascimento de Jesus comunicaram com um espírito vindo de Deus
Então:
Diversos foram os santos que comunicaram ora com anjos, ora foram visitados por demónios
Enfim:
As escrituras e toda a história do Cristianismo estão  por isso repleta de exemplos de pessoas que comunicaram com espíritos,  atestando-se que tal constitui uma prática santa e não um pecado.
As práticas do caminho dos santos nas suas versões europeia - cristas, tendem a professar o contacto com espíritos através de métodos litúrgicos mais ortodoxos, ou seja, através da celebração de missas e rituais nos quais se operam processos esotéricos, (ocultos, herméticos e secretos), com a finalidade de invocar espíritos e de pedir intercedências junto de santos que são objecto de culto e adoração.
Tais práticas tendem comummente ser confundidas com práticas de bruxaria ou feitiçaria, (até porque os processos são bastante análogos), sendo contudo que na sua essência constituem confissões religiosas bastante distintas, pois que este «caminho dos santos» é um caminho profundamente devoto dos santos, de Jesus Cristo e do Criador, sendo que nele se respeita sempre e em ultima instancia a vontade de Deus.
A crença nos santos possui a sua raiz mais profunda na própria crença nos espíritos e no transcendental mundo dos espíritos.
A crença nos «santos» pressupõem a crença no «espírito» que sobrevive á morte do corpo, pois que se crê que um santo é uma pessoa que em vida havendo sido um exemplo de fé e de entrega a Deus, então depois da morte do corpo porem o espírito dessa pessoa contínua existindo e operando os seus prodígios.
Assim sendo, eis que se crê que apelando a um «santo», você esta apelando a um «espírito» ancestral que já habitou neste mundo, para que esse espírito que agora habita na realidade celestial do mundo do espírito, então ele possa ora pessoalmente actuar em seu favor numa certa causa, ora que ele interceda junto de quem possa actuar para seu favorecimento.
Neste aspecto, a crença nos santos é uma crença espírita e espiritualista, tal com a crença nos anjos, com a única diferença que se anjos são espíritos ancestrais que existem desde os primórdios da criação, já os santos são espíritos de pessoas de «carne e osso» que tendo falecido, porem os seus espíritos transitaram para as esferas espirituais.
Sobre os santos, assim podemos ler:
Moisés (…) Deus tornou-o glorioso como os SANTOS
Eclesiástico 45,1-2
E também assim está escrito:
O Senhor elevou Araão a um SANTO (…) estabeleceu com ele uma aliança
Eclesiástico 45, 6-14
Assim se sabe que Moisés e Araão foram homens que tendo vivido neste mundo «em carne e osso», porem depois da morte os seus espíritos continuaram vivendo no «outro mundo», e foram elevados por Deus á categoria de «santos», sendo que assim eles foram tornados espíritos gloriosos com quem Deus estabeleceu uma aliança, e que por isso são espíritos com poder para em espírito operarem prodígios e maravilhas.
Assim, eis que se sabe também que é Deus que eleva os espíritos escolhidos á santidade.
Eis que assim também se sabe que aquele «espírito» que for pelo Senhor elevado a «santo», esse será um «espírito santo».
E mais assim se sabe conforme assim se pode ler:
O Senhor virá para ser glorificado nos seus SANTOS
Tessalonicenses1,10

Pois assim se sabe:
È através dos «santos» que Deus veio, vem e virá a este mundo para se glorificar e recompensar todos aqueles de fé, assim como é através dos seus santos, que Deus se manifesta neste mundo.
È pois a esta crença espírita e espiritualista nos «espíritos» e em «Deus» que é «espírito», que reside a essência da mensagem espiritual e religiosa que a Santeria anuncia ao mundo.
E isso, porque olhai que assim se pode ler:
Moisés disse a Deus: «(…) Senhor, o Deus dos espíritos(…)»
Números 27,15
Assim se sabe:
«Deus» é «espírito», e «Deus» é o «Senhor» dos «espíritos», e «Deus» é o «Senhor» do «mundo» dos «espíritos».
Pois então assim se professa:
O contacto e o clamor aos «espírito» e ao «mundo dos espíritos», ( «santos» são «espíritos» que habitam no «mundo dos espíritos»),  é coisa que se feita em Deus e por Deus, então será sempre coisa santa e boa.
Assim ensinou Jesus, o Santo dos Santos:
Deus é espírito
João 4,24
E mais assim:
O espírito é que dá a vida, a carne não serve para nada
João 6,63
E mais assim foi ensinado:
Na ressurreição (…) os homens e as mulheres (…) serão como os anjos do Céu
Mateus 22,30
Pois assim se crê: a morte do corpo não é o fim da vida, pois a vida reside no espírito e não na carne, e o corpo morrendo porem os espíritos perduram, e o espírito é a fonte da vida.
Mais assim se sabe: após a morte do corpo o espírito prossegue existindo, e o espírito dos homens e mulheres partidos deste mundo para essa realidade espiritual são como os anjos do Céu.
E por isso, assim foi instruído pelo Santo dos Santos:
Vão adorar o Pai em espírito (…) porque esses são os adoradores que o Pai procura (…) Aqueles que O adoram, devem adora-lO em espírito
João 4,24
Pois assim: venerar ao espírito, procurar aos espíritos, e adorar em espírito, é fazer e adorar conforme Deus manda através do seu Santo dos Santos: È por isso nos «espíritos», nos «santos espíritos»,  e «em espírito»,  que a doutrina religiosa da Santeria professa a sua crença e veneração.
Assim sendo:
A grande família da fé cristã é fonte de uma enorme riqueza espiritual que não se reduz apenas ao catolicismo Apostólico – Romano centrado em Roma e no Vaticano, mas sim nele coexistem e florescem muitas outras fontes de fé e doutrinas, nomeadamente:
Baptistas, Adventistas, Jeová, Mórmones, Evangelistas, Anglicanos, Metodistas, Luteranos, Calvinistas, Presbiterianos, Pentecostais, etc
Pois tal como em todos os demais citados casos, a doutrina do «caminho dos santos» é uma das ramificações do «cristianismo».
Nesse caminho são em traços gerais professados 7 pilares de fé fundamentais, e 7 princípios teológicos basilares, e eles são:
….+….
Os 7 PRINCIPIOS DOUTRINARIOS BASILARES DA RELIGIAO DA SANTERIA, NA SUA RAMIFICAÇAO e LINHA «HEBRAICO – CRISTû
I - PRIMEIRO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Assim está revelado:
O senhor virá para ser glorificado nos seus SANTOS
Tessalonicenses1,10

Pois por isso assim anunciamos: a devoção deste caminho espiritual reside nos santos e no culto aos santos, pois que é nos santos que Deus anuncia a sua glória, e é pelos santos que a obra do Senhor se fez, se faz e se fará neste mundo, e é através dos santos que são anunciadas ao mundo as maravilhas e os prodígios do espírito. E mais assim está revelado:
Ele é um Deus SANTO
Josué 24,19
Pois então: O Senhor é um Deus santo, e por isso Deus é um espírito santo, e por isso neste caminho dos santos se professa a fé nos santos e a crença nos espíritos. E mais assim está revelado:
Este é o SANTO dos santos
Ezequiel 41,4
Pois então: cremos que esta profecia se cumpriu em Jesus, e que por isso Jesus é o «Santo dos santos». E assim sendo:
Neste caminho religioso cristão, eis que observando a estes mandamentos, é então professada a fé nos SANTOS e o culto aos SANTOS, sendo que Jesus Cristo é tido como o SANTO DOS SANTOS.

II - SEGUNDO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professada a especial fé no ESPIRITO SANTO, (conforme revelado em Marcos 1,10-12; Lucas 3,21-22), e no seu oculto mistério, pois que foi esse misterioso Espírito que no momento do baptismo se fez revelar incorporado na forma de uma pomba, e que anunciou a divina filiação de Jesus.
III - TERCEIRO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professada a fé e especial devoção a: SÃO CIPRIANO e SANTA MARIA MADALENA. São também considerados e professados enquanto livros sagrados da fé: a Bíblia e a Obra de São Cipriano.
IV - QUARTO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professado que através dos SANTOS se podem alcançar tanto as BENÇÃOS como as MALDIÇÕES de Deus, e anunciado que a prática do ESOTERISMO e da ESPIRITUALIDADE se for celebrada conforme os ensinamentos bíblicos, não são coisas pecaminosas… mas sim e apenas o mero cumprimento daquilo que as escrituras revelam que pode e deve ser feito para alcançar dadivas, prosperidades e fertilidades através do poder que Deus manifesta em todas as coisas.
V - QUINTO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professado que o tal como dizem as escrituras, Deus é um ESPIRITO, (João 4,24), e Deus é Senhor de todos os ESPIRITOS, (Números 16,22), e por isso que o contacto e invocação de espíritos sob a autoridade de Deus não é um pecado mas sim o cumprimento do revelado na Palavra de Deus, feito conforme Moisés o fez; Também é professado que Deus tem sob seu poder não apenas «alguns» espíritos mas sim «todos» os espíritos, e que por isso Deus tem ao seu serviço tanto espíritos bons como espíritos de trevas, e que por isso tanto uns como outros podem ser invocados e comandados através do poder de Deus e dos santos de Deus, tal como o foram através de Moisés que tanto teve ao seu serviço anjos bons de Deus,( que guiaram o seu povo no deserto, alimentando-o e salvando-o dos perigos Êxodo 23, 20-), como anjos de destruição, ( que realizaram feitos de CIENCIAS OCULTAS diante do faraó -Exodo7,10-13 -, e que atingiram o Egipto com terríveis pragas e devastação -Salmo 78,43;49-). É por isso professado que Deus tanto pode usar anjos ao seu serviço, ( como aquele que auxiliou Tobias,  ou aquele que se dirigiu a Balaão, ou aquele que falou com o profeta Daniel, ou aquele que anunciou a Maria o nascimento de Jesus), como igualmente pode usar demónios e espíritos maus ao seu serviço, ( como aquele que Deus usou contra o Rei Saul para o desgraçar, ou como aquele que Deus usou contra Job para lhe testar a fé, ou como aquele que Deus usou para colocar discórdia entre Abimelec e os senhores de Siquem), e por isso se crê que Deus é senhor de todas as coisas, e que para o Senhor usar de anjos e bênçãos, (aquilo a que comummente se chama «magia branca»), como de demónios e maldições, ( aquilo a que vulgarmente se chama «magia negra»), tudo é possível a Deus e tudo d’Ele provem.
E assim:
Eis que se professa que todas essas obras do espírito podem ser realizadas através de um santo de Deus como era Moisés, como era Balaão, como era Daniel, como era Salomão, como era os três magos de Jesus, e como era são Cipriano.

VI - SEXTO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professado que Moisés foi um mago que realizou feitos de ciências ocultas iguais e maiores aos dos magos do EgiptoÊxodo 7,8-11;17;21-22;  8,1-3; 12-18;  9,8-11);  professado que Balaão foi igualmente um mago que realizou as suas artes espirituais ao serviço de Deus e que foi por Deus abençoado com a profecia de Jesus, (Números 21,6-7;18;  24,13); professado que Daniel( também chamado Baltazar), foi igualmente um mago da corte do rei da Babilónia, (Daniel 4,5;6; 16;  5,12-14); professado que magos foram aqueles três que foram chamados pelo Deus dos Céus e das Alturas a testemunhar o nascimento de Jesus, o Santo dos santos,( Mateus 2,1-12); Tudo isto é professado, e por isso o caminho da magia celebrado conforme Moisés, Balaão, Daniel e os três magos de Jesus, é um caminho espiritual santo e de Deus, conforme santos foram estes magos. È por isso a Moisés, Balaão, Daniel, aos 3 magos de Jesus, a são Ciprianoe a santa Maria Madalena, que nesta doutrina são prestados especial culto religioso e devota veneração espiritual. E porem, eis que é igualmente professado que no «caminho dos santos» não se pratica a «magia» pela «magia», nem a «magia» em nome da «magia», mas sim se a «magia» é praticada ela é-o em nome de Deus e dos Santos de Deus, tal como se crê que o fez Moisés, tal como se crê que o fez Balaão, tal como se crê que o fez Daniel, e tal como se crê que o fizeram os 3 Magos que testemunharam o nascimento de Jesus Cristo. Assim, nesta doutrina o «acto magico» é apenas considerado enquanto um acto litúrgico e ritual de apelo ás bênçãos de Deus, (a chamada «magia branca»), ou ásmaldições de Deus ,(a chamada «magia negra»), celebradas estritamente conforme os santos ensinamentos esotéricos da Bíblia, da Torah hebraica, da kabalah Hebraica e de santos saberes de são Cipriano.
VII - SETIMO PRINCIPIO DOUTRINARIO -
Professado que «magia branca» é na verdade o apelo ás «bênçãos» de Deus, e que a «magia negra» é na verdade o apelo ás «maldições de Deus», e que porem a «magia», seja ela «branca» ou «negra», toda ela é coisa do «mundo do espírito» e do «espírito», e que por isso toda ela provem de Deus, pois que está provado e escrito: Ponho diante de vós a BENÇÃO e a MALDIÇÃO» – Deuteronómio 11,26 , assim como está revelado e comprovado: Pronunciarás a BENÇÃO sobre o monte Garizim e a MALDIÇÃO sobre o monte Ebal – Deuteronómio 11,29.
Pois então: Assim se atesta que Deus é Dono e Senhor de toda a «bênção» e de toda a «maldição», e que todas elas d’Ele provem, e por Ele operam, e foram por Ele criadas.

Mais se crê e professa – neste caminho de santo – que a tanto a bênção de Deus, ( a chamada «magia branca),como a maldição de Deus, ( a chamada «magia negra»), ambas podem ser operadas clamando a Deus, e isso assim se atesta neste mandamento que assim está revelado: O sacerdote escreverá esta MALDIÇÃO num documento (…)e o sacerdote fará este ritual – Números 5,23;29-30 – Pois assim se sabe: aos sacerdotes que veneram a Deus é instruído não apenas clamar ás bênçãos de Deus, como lhes é instruído clamar ás maldições de Deus, e isso assim se testemunha e confirma neste mandamento.

Mais assim está escrito: Eliseu (…) AMALDIÇOOU-OS EM NOME DO SENHOR. Então saíram duas ursas do mato e despedaçaram quarenta e dois desses meninos – 2 Reis 2,24 Pois por isso, assim se sabe:  É possível por mandamento de Deus – conforme o confirme esta Palavra de Deus – tanto abençoar como amaldiçoar, desde que em nome de Deus assim seja feito, pois que Deus é Senhor tanto de bênçãos como de maldiçoes, e por isso a um homem de Deus – como era Eliseu – Deus lhe concede a prerrogativa de tanto abençoar como de amaldiçoar, pois acaso não está escrito: «e Eliseu amaldiçoou-os em nome do Senhor»? Assim sendo: Tanto as bênçãos – comummente chamadas demagia branca –  como maldiçoes – usualmente chamadas de magia negra –  são caminhos de Deus que em Deus são fruto, se por Deus e em Deus assim forem clamados.

E por isso assim se crê que com Deus todas as bênçãos e magias dão fruto, e sem Deus nenhuma delas dará fruto algum, e que assim todas elas devem ser exercidas dentro de Deus, em Deus, e jamais fora de Deus. Por isso: é professado que Deus não é Senhor de apenas «algumas coisas» mas sim de «todas as coisas», e que por isso tanto as bênçãos de Deus, (a chamada «magia branca»), como as suas maldições, (a chamada «magia negra»), podem ser clamadas a Deus em favor do sofredor, e assim sendo podem essas bênçãos ou maldições manifestar-se neste mundo através de um santo de Deus, tal como se manifestaram através de Moisés, tal como se manifestaram em Abraão, tal como se manifestaram em Balaão, e tal como professamos que se manifestam em são Cipriano e em Santa Maria Madalena.



sexta-feira, 1 de agosto de 2014

O que é a Amarração e como funciona

O que é a Amarração e como funciona

magia
A amarração, é um processo místico que consiste numa "maldição" lançada com a finalidade de unir 2 pessoas, sexual ou amorosamente.

Uma amarração, pressupõem que em simultâneo se celebrem 2 tipos de *malefícios:
Por um lado, é realizado um trabalho de união dos caminhos de vida das 2 pessoas que se deseja amarrar, ao passo que por outro lado, á pessoa amarrada são desviados os rumos de vida relativamente a quaisquer outras terceiras pessoas.
Que as bruxarias alteram o destino da vida de uma pessoa, já a Bíblia atesta no Livro de Ezequiel, onde assim podemos ler a propósito das bruxas:
Vos profanais-me por um punhado de cevada ou um pedaço de pão,
destinando á morte quem não devia morrer
e destinando á vida que não deveria viver (….)
gente como pássaros (….)

caçais

As pessoas que vós aprisionaste como se fossem pássaros
Ezequiel 13; 17-23
Assim se verifica que o profeta de Deus se queixa que as bruxas estão alterando os destinos daqueles afectados pelas bruxarias. Pois uma bruxaria de amarração, consiste precisamente numa "maldição" que caindo sobre a vida de uma pessoa, lhe altera o destino e remete os rumos de vida para junto da pessoa que encomendou a amarração. Assim, está-se alterando o destino de uma pessoa, para que ela jamais encontre felicidade e descanso junto de outrem, senão com quem encomendou a amarração.
Espiritos
Trata-se um processo místico por via do qual se invocam espiritos que vão entrar e influenciar na vida de uma pessoa, de forma a leva-la a ficar com alguém que encomendou esse trabalho a troco de dinheiro.
Pela amarração, espíritos são invocados e dirigidos á vida de uma pessoa. Esses espíritos farão cumprir uma "maldição". "Maldição" essa, que vai condenar uma pessoa a ter o seu caminho de vida «cruzado» ou «apegado» a outra pessoa. Isso significa que se todos os passos do caminho de vida da pessoa amarrada não conduzem á pessoa que a amarrou, serão caminhos de dor e sofrimento, seja para si mesma, ou seja para os outros que estejam ao seu lado.
Assim, enquanto essa pessoa não ficar junto de quem encomendou a amarração, ela encontrará sempre á sua volta ou dor, ou angustia, ou contratempos, ou sofrimentos, ou lágrimas, ou bloqueios, sejam em si mesma, seja naqueles que a rodeia. Assim será feito para que essa pessoa não tenha paz, e para que essa pessoa sofra enquanto se mantiver separada de quem a mandou amarrar. Essa pessoa apenas terá descanço e paz quando estiver junto de quem a amarrou, e enquanto andar longe de quem a amarrou, nada mais lhe vai restar senão essa "maldição". Cabe ás entidades espirituais terrenas e mais próximas deste mundo, especialmente aquelas ligadas á luxúria e á vingança, realizar tais tarefas de "maldição". Tais entidades são invocadas por via de rituais de magia negra.

Que efeitos produz uma amarração?

Uma amarração faz uma pessoa ficar com outra, ou faz ela voltar, faz ela desejar e não conseguir deixar de pensar nessa outra pessoa.

Como é que uma amarração consegue lavar a uma união?

Uma amarração produz esse resultado de união porque as entidades espirituais que vão abordar a pessoa amarrada vão causar certos efeitos na vida dela.
Ao assim ser, uma amarração abre aquela porta que estava fechada, para que a pessoa que fez a amarração entre por essa porta e acabe conquistando vitoriosamente a vida da outra pessoa.


quinta-feira, 17 de julho de 2014

Pomba Gira Maria Mulambo - Uma História

Pomba Gira Maria Mulambo - Uma História



 Maria mulambo era filha de escrava com feudal, um senhor de muitas terras e que amava sua mãe e não tratava como escrava mais sim como esposa, por mais que existisse preconceito das pessoas da cidade por ela ser negra, mulambo não conheceu sua mãe, assim que nasceu sua mãe faleceu no parto então foi criada por seu pai com todos os luxos e mimos e todos na cidade a tratavam muito bem principalmente os mais nobres por seu pai ter muitas riquezas e poder na cidade, seu pai sofria de uma doença que não teria cura a Maria mulambo era filha de escrava com feudal, um senhor de muitas terras e que amava sua mãe e não tratava como escrava mais sim como esposa, por mais que existisse preconceito das pessoas da cidade por ela ser negra, mulambo não conheceu sua mãe, assim que nasceu sua mãe faleceu no parto então foi criada por seu pai com todos os luxos e mimos e todos na cidade a tratavam muito bem principalmente os mais nobres por seu pai ter muitas riquezas e poder na cidade, seu pai sofria de uma doença que não teria cura assim deixou toda sua herança para mulambo uma jovem linda e bela ,quando completou seus 18 anos perdeu seu pai de uma forma um tanto sofrida estava sozinha no mundo com tanto dinheiro mais tão infeliz, o povo da cidade quando souberam da morte de seu pai mudaram completamente com ela pois era uma morena jambo muito bonita mais para todos não passava de uma escrava que se escondia atrás de jóias e vestidos caros, os meses foram passando e a solidão aumentando e quanto mais chorava mais triste ficava, até que resolveu sair um pouco para ver gente, mesmo sabendo que as pessoas as descriminavam, passou a andar com os humildes que por ela não tinham preconceito só admiração a chamavam de princesa dos escravos pois fazia doações generosas as famílias pobres do vilarejo, um belo dia encontrou com um rapaz muito formoso e gentil foi amor a primeira vista, então o rapaz passou a visitá-la e tirando um pouco da solidão de sua vida, e a cada dia foi ganhando mais sua confiança e amor, não demorou muito se casarão e mulambo viveu momentos felizes, naquela época as mulheres não poderia aprender a ler e nem escrever, e foi então que o pior aconteceu! O seu sonho virou pesadelo.
Mulambo saiu como costumava fazer todos os dias para visitar as famílias e o vilarejo, quando chegou a sua mansão os escravos que a serviram por tantos anos a impediu de entrar em sua própria casa por ordem de seu marido, lhe disseram que o senhor ordenou que não deixasse entrar nem para beber água que lá ela não teria mais nada apenas a rua. Mulambo não acreditou em que estava ouvindo, pois seu amado marido a traiu e lhe roubou todos os bens .
Desnorteada vagou pelas ruas, o que machucava mulambo não foi a perda da riqueza, mais da traição de alguém que era a única pessoa que ainda teria na vida.

Se passaram dias suas roupas finas viraram farrapos, sua fisionomia ficou triste e escura mais a sua beleza era visível para todos que passavam e viam aquela mulher com a mão estendida suja e esfarrapada, passou muita fome e frio mais ainda assim o que mais lhe maltratava era a traição, passando pela mesma calçada uma mulher bonita famosa dona de cabaré olhou para mulambo e perguntou: moça és tão bela o porque esta esmolando, mulambo mal olhou para moça e nada respondeu, a moça na época chamada sete saias do cabaré fez um convite a mulambo, que se mulambo fosse com ela seria muito rica e amada por muitos homens, mulambo sem entender muito acompanhou sete saia a rainha do cabaré se arrumou e começou a fazer a vida, reconquistou o dobro da riqueza que tinha era uma das mais procuradas no cabaré, guardou seu coração na gaveta para que fosse rigorosa e fria na hora de cobrar, fez muitos abortos e não queria ter filhos foi obrigada muitas vezes a tirar, por causa do trabalho e não saberia lidar com essa situação (por esse motivo a entidade Maria mulambo é protetora das crianças) um dia a casa estava cheia e o homem que destruiu sua vida e roubou seus bens foi conferir o boato que se alastrou pela cidade, quando mulambo o viu seu coração galopava de uma forma absurda pois por mais que ele tivesse destruído os seus sonhos ela ainda o amava pois como ela diz (o verdadeiro amor é o único feitiço que nunca é desfeito) ele chegou perto dela e pediu perdão por tudo que tinha feito que era um tolo e queria a esposa dele de volta que foi egoísta e ambicioso, mas era para que ela entendesse que sempre sofreu na vida, e ele não teve o direito de fazer o mesmo com ela, e rapidamente marcou uma encontro com ela em uma encruzilhada afastado um pouco do cabaré a meia noite, ela respirou fundo e aceitou o convite na esperança que realmente ele tinha falado a verdade e mudado, mulambo saiu escondida com uma capa preta muito usada naquela época, chegando lá ele se aproximou dela e disse “ você foi a mulher mais linda que conheci em toda minha vida e sua beleza não dividirei com ninguém vou fazer isso por amor” de repente apareceram mais 6 amigos a seguraram e ela a esfaqueou varias vezes e ainda viva ele a jogou em uma lixeira e a tirou fogo, assim mulambo cura a dor de pessoas que sofrem com traição e é a favor dos casais, seu Axé é caracterizado por famílias, é um axé de respeito e fertilidade.ssim deixou toda sua herança para mulambo uma jovem linda e bela ,quando completou seus 18 anos perdeu seu pai de uma forma um tanto sofrida estava sozinha no mundo com tanto dinheiro mais tão infeliz, o povo da cidade quando souberam da morte de seu pai mudaram completamente com ela pois era uma morena jambo muito bonita mais para todos não passava de uma escrava que se escondia atrás de jóias e vestidos caros, os meses foram passando e a solidão aumentando e quanto mais chorava mais triste ficava, até que resolveu sair um pouco para ver gente, mesmo sabendo que as pessoas as descriminavam, passou a andar com os humildes que por ela não tinham preconceito só admiração a chamavam de princesa dos escravos pois fazia doações generosas as famílias pobres do vilarejo, um belo dia encontrou com um rapaz muito formoso e gentil foi amor a primeira vista, então o rapaz passou a visitá-la e tirando um pouco da solidão de sua vida, e a cada dia foi ganhando mais sua confiança e amor, não demorou muito se casarão e mulambo viveu momentos felizes, naquela época as mulheres não poderia aprender a ler e nem escrever, e foi então que o pior aconteceu! O seu sonho virou pesadelo.
Mulambo saiu como costumava fazer todos os dias para visitar as famílias e o vilarejo, quando chegou a sua mansão os escravos que a serviram por tantos anos a impediu de entrar em sua própria casa por ordem de seu marido, lhe disseram que o senhor ordenou que não deixasse entrar nem para beber água que lá ela não teria mais nada apenas a rua. Mulambo não acreditou em que estava ouvindo, pois seu amado marido a traiu e lhe roubou todos os bens .
Desnorteada vagou pelas ruas, o que machucava mulambo não foi a perda da riqueza, mais da traição de alguém que era a única pessoa que ainda teria na vida.
Se passaram dias suas roupas finas viraram farrapos, sua fisionomia ficou triste e escura mais a sua beleza era visível para todos que passavam e viam aquela mulher com a mão estendida suja e esfarrapada, passou muita fome e frio mais ainda assim o que mais lhe maltratava era a traição, passando pela mesma calçada uma mulher bonita famosa dona de cabaré olhou para mulambo e perguntou: moça és tão bela o porque esta esmolando, mulambo mal olhou para moça e nada respondeu, a moça na época chamada sete saias do cabaré fez um convite a mulambo, que se mulambo fosse com ela seria muito rica e amada por muitos homens, mulambo sem entender muito acompanhou sete saia a rainha do cabaré se arrumou e começou a fazer a vida, reconquistou o dobro da riqueza que tinha era uma das mais procuradas no cabaré, guardou seu coração na gaveta para que fosse rigorosa e fria na hora de cobrar, fez muitos abortos e não queria ter filhos foi obrigada muitas vezes a tirar, por causa do trabalho e não saberia lidar com essa situação (por esse motivo a entidade Maria mulambo é protetora das crianças) um dia a casa estava cheia e o homem que destruiu sua vida e roubou seus bens foi conferir o boato que se alastrou pela cidade, quando mulambo o viu seu coração galopava de uma forma absurda pois por mais que ele tivesse destruído os seus sonhos ela ainda o amava pois como ela diz (o verdadeiro amor é o único feitiço que nunca é desfeito) ele chegou perto dela e pediu perdão por tudo que tinha feito que era um tolo e queria a esposa dele de volta que foi egoísta e ambicioso, mas era para que ela entendesse que sempre sofreu na vida, e ele não teve o direito de fazer o mesmo com ela, e rapidamente marcou uma encontro com ela em uma encruzilhada afastado um pouco do cabaré a meia noite, ela respirou fundo e aceitou o convite na esperança que realmente ele tinha falado a verdade e mudado, mulambo saiu escondida com uma capa preta muito usada naquela época, chegando lá ele se aproximou dela e disse “ você foi a mulher mais linda que conheci em toda minha vida e sua beleza não dividirei com ninguém vou fazer isso por amor” de repente apareceram mais 6 amigos a seguraram e ela a esfaqueou varias vezes e ainda viva ele a jogou em uma lixeira e a tirou fogo, assim mulambo cura a dor de pessoas que sofrem com traição e é a favor dos casais, seu Axé é caracterizado por famílias, é um axé de respeito e fertilidade.

Encontre o livro da maria mulambo e pombas giras vermelhas e outros na LIVRARIA SARAIVA

segunda-feira, 14 de julho de 2014

amarração amorosa



AMARRAÇÃO...É  a maneira de se conseguir através da bruxaria ou feitiçaria de ter quem se ama de volta,ou conquistar a pessoa que se deseja.Quem tem a sua pessoa como alvo de uma trabalho de amarração nas consegue nem mesmo fazer as coisas mais simples do dia a dia,sem pensar ou desejar estar perto da pessoa que solicitou o serviço.
Mesmo que antes do serviço feito ela sentisse,desprezo ou magoa em relação a outra pessoa,todos esses sentimentos serão arrancados do seu coração e da sua mente,dando lugar a uma admiração,e a uma ternura de amor incomparável.Desejando sempre estar ao seu lado e partilhar todos os momentos.
QUE EFEITOS PRODUZ???
 
Uma amarração faz a pessoa ficar com a outra,faz ela voltar esteja onde estiver e com quem estiver!Mesmo que antes ela não quizesse ouvir o seu nome,de repente ela começa a sentir a sua falta e so a pensar em si,desejando constantemente estar ao seu lado e ouvir a sua voz.A pessoa não conseguira realizar as coisas mais simples do dia a dia sem estar perto de si.As entidades vão-lhe primeiro trabalhar a mente,de maneira a que ela só pense em si,depois trabalham-lhe o coração e ela jamais terá sossego enquanto não vier até si.Mesmo que antes nem pudesse ouvir falar de si,ela será vergada e todos os maus pensamentos desapareceram,dando lugar a ternura,a paixão e ao amor.
As entidades,vão-lhe causar aborrecimentos,andara sempre aborrecida,não permitindo mesmo que outro alguém lhe toque.A pessoa vai passar a sofrer muito enquanto não estiver na companhia de quem encomendou o serviço.As entidades vão amansar e quebrar o seu orgulho de maneira a que ela se vergue e volte para junto de si,chegando mesmo a pedir perdão e a implorar o seu amor.As entidades vão entrar no sono da pessoa,causando-lhe pesadelos e sonhos eróticos de maneira a que ela não tenha sossego sem fazer o que a entidade quer,voltar para quem solicitou o serviço.
Mas quando estiver junto de si as suas atitudes serão as mais normais de uma pessoa apaixonada.E é assim,a pessoa vendo-se tão perdida e apaixonada"feito adolescente",
volta de mansinho.
 QUANTO TEMPO DURA!!!
A amarração dura o tempo que você quiser,e da maneira que você pedir o serviço.Essa historia dos 7 anos para mim não existe,fiz esta feito,faço como a pessoa mo pede,quem amarrei a mais de 20 anos esta hoje muito bem ainda.Amarração é bruxaria,não é ritual nem simpatia,claro que se você faz um ritual,ou mesmo uma simpatia,que se vendem já prontos em casas de artigos misticos,vai-lhe durar 7 anos ou apenas meses,depende de muita coisa,mas se faz bruxaria a coisa é para durar.Aconselho a casais mais maduros que façam amarração eterna,ou amarração de cemitério,pois são mais eficientes e duradouras.nas mais simples,você pode sempre fazer uma amarração sexual,onde tem de ter o semen dos dois,ou a falta disso,faz-se na mesma mas usa-se um falo vermelho e um tutu vermelho.
SE ALGUÉM DESCOBRE???
Claro que se a pessoa não a podia ver,nem ouvir o seu nome,vão achar esquisito que essa pessoa de repente se sinta louca por si,mas se fosse a si não me incomodava,pois isso mesmo acontece a toda a hora,as pessoas viram,é a lei da vida,e também se alguém tentar saber o que se passa nunca o vai descobrir,só se for pela sua boca,pois o serviço jamais o descobriram,esta protegido pelas entidades da magia negra.E só se forem adivinhos!!! 
andreiacaetano666@hotmail.com  

sábado, 5 de julho de 2014

VIAJAR É MUDAR A ROUPA DA ALMA

Como disse o navegador e escritor brasileiro, Amyr Klink, “um homem precisa viajar. Por sua conta, não por meio de histórias, imagens, livros ou TV…”.




E os médicos comprovam que, de fato, um homem precisa viajar e sair da rotina para manter uma boa qualidade de vida prevenindo doenças, como o estresse e a depressão. De acordo com os especialistas, trabalhar o tempo inteiro acarreta inúmeros problemas no organismo do ser humano, como a queda na imunidade, ansiedade, problemas digestivos (gastrite e úlceras), cardiovasculares (hipertensão), estresse, esquecimento e baixa produtividade. Diante da pressão e rotina turbulenta, o corpo e a mente precisam de um tempo para se restabelecer.
Além de relaxar, convenhamos, não existe nada melhor que conhecer lugares novos, aprender outras línguas, mergulhar em uma cultura diferente da nossa, provar pratos típicos de outras regiões e no final, guardar estes momentos importantes e únicos na nossa memória.
Corpo e alma renovados… por quanto tempo?
Não existe um “tipo de viagem ideal”, isso varia de acordo com cada um, mas não é preciso dar a volta ao mundo ou gastar tudo em uma única viagem. Respirar novos ares e se desligar dos problemas do dia a dia faz uma grande diferença.
Depois de uma pausa, nosso cérebro funciona melhor, voltamos mais criativos e concentrados. Porém estudos mostram que este efeito de “corpo e alma renovados” dura apenas duas semanas ou menos, depois as preocupações e o estresse voltam a fazer parte do nosso dia a dia. Tentar voltar lentamente à rotina é recomendável para o cérebro se adaptar e acostumar com a correria novamente.
Muitas vezes, as viagens curtas e feitas com maior freqüência são mais recomendadas do que viagens longas que são realizadas somente uma vez por ano, pois um descanso, mesmo sendo poucos dias, já faz diferença.
Planeje sua viagem
Não importa qual for o seu destino. Para relaxar e aproveitar é preciso planejar com antecedência a sua viagem. Ao contrário do que muitos pensam, planejar tudo não tira a graça da viagem. Como disse o autor do livro “100 Dicas para Viajar Melhor”, Ricardo Freire, “o que tira a graça da viagem é se hospedar mal por não ter feito reserva com antecedência e ficar zangado pela zona de restaurantes sem conseguir escolher um…”.
Para evitar estresses de última hora e poder curtir ainda mais, segue abaixo algumas dicas para você planejar a sua viagem e já começar a pensar em quando serão suas próximas férias…
- Se o seu objetivo é descansar, descanse! Não planeje conhecer 20 lugares em apenas 7 dias, ao invés de relaxar você voltará mais cansado. Antes de escolher seu destino decida quais são seus objetivos.
- Hoje existem vários sites que mostram os principais pontos turísticos de muitas cidades e o que vale a pena conhecer. Faça uma pesquisa detalhada, converse com amigos e conhecidos e peça algumas dicas ou visite uma agência de viagens.
- Decida se quer viajar sozinho ou acompanhado. Na maioria das vezes os hotéis oferecem pacotes especiais para quatros duplos ou triplos. Certifique-se que as pessoas que viajarão com você possuem os mesmos objetivos para não haver constrangimentos futuros.
- Escolha se vale a pena viajar de pacote, excursões ou por conta própria. Geralmente nas excursões, o passageiro não precisa se preocupar com muitos imprevistos, apenas é preciso seguir os horários programados.
Viajar por conta própria nunca foi tão fácil. Com a evolução da internet hoje é possível comprar passagens, reservar hotéis e saber quais são os lugares que vale a pena visitar.